como estimular os sentidos do bebê

Como ajudar o bebê no estímulo dos 5 sentidos sensoriais?

Quando uma mulher vira mãe e um homem vira pai, o bebê passa a ser o centro do universo. Tudo o que esses novos pais desejam é ver o filho crescendo bem e saudável. 

Para um bebê, tudo é novo

Novas experiências são uma constante na vida de um recém-nascido, e mesmo aquilo que  parece inerente à vida humana, como sentir o gosto da comida, o cheiro de uma flor e identificar cores é novidade.

Os primeiros 1000 dias – desde a gestação até os quase três anos de vida – são os mais importantes para o desenvolvimento da criança. É nesse período que o cérebro dos pequenos estão literalmente a mil, absorvendo tudo o que ouvem, veem e sentem. 

Quando falamos de crianças, é preciso assimilar que cada pequeno é único. O tempo para se desenvolverem, embora siga padrões, não será idêntico nem mesmo entre irmãos. Tenha calma!

Confira abaixo uma série de recomendações para você entender como estimular os sentidos do bebê e garantir um desenvolvimento saudável.

A importância de estimular os sentidos do bebê

Engana-se quem pensa que, para cuidar de um bebê, basta alimentá-lo, higienizá-lo e fazer com que durma. Estimular os sentidos do bebê é uma tarefa de fundamental importância nos primeiros anos de vida. 

O senso de percepção dos bebês é bem diferente do dos adultos. 

Os pequenos usam os cinco sentidos para absorver informações, reagir ao ambiente externo, buscar alimento e conforto, e criar vínculos com os papais e as mamães. 

Ao nascer, o toque e o olfato já estão completamente desenvolvidos. 

Mas o sentido da visão, por exemplo, ainda leva alguns esses para estar totalmente formado.  

Nesse período, é muito comum os pais terem a impressão que os bebês estão crescendo muito rápido. 

Isso se dá porque o desenvolvimento dos cinco sentidos ocorre em guinadas! 

O bebê aprende muito em pouco tempo e, quando os pais se dão conta, já estão aprendendo a sentar, a apontar, a falar e a caminhar. 

A dica é aproveitar bastante cada uma das fases porque, realmente, os bebês crescem rápido e você vai sentir saudades dessa fase logo logo!

Como estimular os 5 sentidos do bebê?

1) Tato

O tato é o sentido que já está melhor desenvolvido quando a criança nasce. É o sentido que ajuda a criar e a fortalecer o vínculo entre a mãe e o bebê. 

Mantenha seu filho sempre bem pertinho de você! 

O método canguru (recomendado para bebês prematuros) é um ótimo jeito de criar um vínculo forte – especialmente para os papais. 

Esse método imita a maneira como os cangurus carregam seus filhotes, dentro de uma “bolsa” na barriga. 

Deixe o bebê só de fralda, posicione-o de pé contra o peito e use sua bolsa para imitar uma bolsa de canguru. 

O bebê vai ficar bem quentinho, e a sensação vai ser ótima pra você também. 

O abraço também é importante em todas as fases do crescimento da criança. Abraçar, embalar, fazer carinho e manter o bebê sempre pertinho do seu corpo – tudo isso estimula a familiaridade do bebê com o corpo dos pais e ajuda no desenvolvimento do toque. 

Embora possa parecer esquisito no começo, todos os bebês têm mania de colocar tudo na boca. 

Com exceção de objetos perigosos ou sujos, não tem problema deixar que seu pequeno faça isso. 

Pelo contrário – a boca está cheia de sensores motores e seu filho vai aprender muito ao experimentar formatos e texturas diferentes.  

Outra coisa que os bebês adoram (pelo menos, a maioria deles) é a sensação de estarem embaixo d’água. 

Eles não perdem a oportunidade de brincar na água, batendo as mãozinhas para ver os pingos respingando. 

Assim, também entendem as leis de causa e efeito. Experimente colocar alguns produtos que fazem espuma – seu filho vai adorar, e o banho vai render boas fotos para lembrança. 

Também é interessante permitir que o bebê brinque com elementos de diferentes texturas, como água, lama, argila e areia

Mesmo que isso acabe sujando as roupinhas do bebê, é uma forma de fazer com que ele vá desenvolvendo o tato. 

guia bilíngue bannerPowered by Rock Convert

2) Olfato

As crianças se familiarizam com o cheiro da mãe desde o primeiro dia de vida. Provavelmente, será capaz de reconhecer o cheiro de outras pessoas que a rodeiam já na primeira semana. 

Ou seja, o olfato dos pequenos já é bem aguçado desde o nascimento. 

Os bebês são especialmente sensíveis ao cheiro do leite materno e conseguem, inclusive, diferenciá-lo da fórmula. 

Essa incrível capacidade de olfato também permite que a criança identifique possíveis perigos ou momentos em que pode se sentir confortável e segura. 

É ideal que a mamãe e o papai usem, por um tempo, os mesmos produtos de higiene e perfumes. Assim, os bebês ficarão acostumados com esses cheiros. 

No entanto, é melhor que as mamães evitem cremes ou perfumes com cheiro muito forte enquanto estiverem amamentando. Isso pode confundir o bebê ao mascarar os feromônios que a mãe produz. 

Ao expor a criança a diferentes odores, lembre-se de descrevê-los e de contar a eles de onde o cheiro está vindo. Isso também ajuda a promover o desenvolvimento do olfato.

Passeios ao ar livre são ótimos para estimular o olfato dos pequenos. Sentir o cheiro da comida também é uma boa pedida e, além de desenvolver o olfato, estimula o paladar.  

3) Audição

A audição do bebê já começa a ser desenvolvida enquanto ele ainda está no útero. É por isso que muitas mamães têm o hábito de conversar com o bebê ainda na barriga – isso fortalece o vínculo entre mãe e filho.

Esse, na verdade, é um hábito que segue frequente depois que a criança nasce. Mesmo que o bebê não possa entender, as mães e os pais conversam com ele, e isso é sempre recomendado por especialistas. 

Conversar, ler e cantar para o bebê ajuda na construção da personalidade, estimula o desenvolvimento da linguagem e fortalece os vínculos. 

Nos primeiros dias, os pequenos se assustam e se distraem com barulhos. Aos poucos, começam a tentar imitar os barulhos, e a partir dos quatro meses já se tornam uns tagarelas, embora estejam se comunicando de forma ininteligível (nós sabemos, nós sabemos… as mamães afirmam que conseguem entender o que eles estão querendo dizer! :))

Deixe o bebê se acostumar a ouvir músicas de diferentes gêneros, mas também respeite os momentos de silêncio para que a criança não fique muito agitada. Também estimule que ele mesmo faça os sons, jogando brinquedos no chão e observando o barulho que causa. 

4) Paladar

Assim como o olfato, o paladar já está bem formado quando a criança nasce. O pequeno consegue identificar os sabores das comidas que a mãe come ao tomar o leite materno.

Por isso, enquanto estiver amamentando, tente consumir alimentos diferentes. 

Outra coisa: deixe que as crianças coloquem os brinquedos na boca (procure, claro, mantê-los o mais limpo possível). É assim que elas começam a descobrir o mundo que as cercam.

A partir dos seis meses, ofereça alimentos variados, de sabores diferentes – sempre seguindo as orientações de um pediatra, de um odontopediatra ou de um nutricionista. 

Prefira alimentos leves e saudáveis, deixando de lado aqueles com muito sal, açúcar ou sabores sabores muito fortes.

Fique atento ao histórico familiar de alergias – algumas podem ser  hereditárias. Não custa nada evitar acidentes, não é mesmo?

5) Visão

Inicialmente, o bebê só consegue ver objetos e pessoas de 20 a 50 centímetros de distância – e de um jeito embaçado. 

A partir dos quatro meses, o bebê já consegue enxergar um pouco mais longe, e conseguirá usar os olhos para acompanhar o movimento dos objetos. 

Aos cinco meses, já terá desenvolvido melhor a noção de profundidade. Nessa época, ele também já conseguirá ver as todas as cores! E, quando começar a engatinhar, já conseguirá utilizar o senso de profundidade para avaliar distâncias.

Para estimular a visão do seu pequeno, você pode decorar o berço com cores brilhantes, formas geométricas e desenhos chamativos. Ao alimentá-lo, varie as posições e os lugares para que ele possa se acostumar a ver os cenários de diferentes ângulos. 

Você também pode posicionar seu rosto exatamente na linha de visão do seu filho e conversar com ele ou sorrir para ele. Isso fará com que ele fique completamente focado em você e observe seus movimentos!

A visão e o tato podem ser trabalhados juntos. Antes de entregar um brinquedo ou objeto ao seu filho, mostre-o, variando as distâncias. É legal também mostrar objetos de vários tons da mesma cor para que ele se acostume com essas nuances.

Estimular os sentidos do bebê: uma fase linda (e que passa rápido!)

Como é fácil perceber, boa parte das atividades diárias com os pequenos já estão auxiliando no desenvolvimento dos cinco sentidos. Para estimular os sentidos do bebê, basta interagir bastante com eles e seguir algumas dicas.

A criança é capaz de absorver o carinho e o amor que está sendo direcionado a elas. Por isso, a paciência é sempre muito importante no trato com crianças que ainda estão se desenvolvendo. 

Aproveite bem essa fase, pois ela é linda (e passa muito rápido!).

Vale lembrar, também, que os pais e as mães são quem passam a maior parte do tempo com os bebês logo depois que nascem. 

É preciso que fiquem atentos se, por exemplo, o bebê estiver dando sinais de que está não ouvindo barulhos ou que não está enxergando os objetos. Em qualquer sinal de algo estranho, procure um pediatra de confiança.  

Quer receber mais conteúdos sobre educação de bebês e crianças?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.