livros para ler para os filhos

12 livros sobre como educar seus filhos

Quais são os melhores livros sobre como educar os filhos? Nós vamos te mostrar!

Mas antes de chegarmos ao ponto, que tal refletir sobre a nossa relação com esses grandes amontoados de papéis e letras?

“Livros são os mais silenciosos e constantes amigos; os mais acessíveis e sábios conselheiros; e os mais pacientes professores.” 

O autor é o professor norte-americano Charles William Elliot, que foi presidente de Harvard e responsável por tornar a Universidade um dos maiores centros acadêmicos do planeta.

Sem dúvida, uma das maiores capacidade dos livros é de nos ensinar novos conhecimentos, informações que podemos utilizar para o resto de nossas vidas nas mais diferentes tarefas, desde “como assar um bolo” até chegar no tema de hoje: a criação dos nossos filhos.

E você?

Tem o costume de buscar na literatura informações e conceitos que ajudem na criação dos seus pequenos?

Se a resposta foi não, saiba que existe muito conteúdo de alta qualidade à sua disposição, por isso, separamos aqui 12 livros sobre educação que você precisa ler!

Nem tudo se resume à internet, por isso, vamos dar um tempo nas telinhas e focar nas boas e tradicionais páginas de papel?

1) 50 coisas que os pais nunca podem dizer aos filhos – Antonio Siqueira

50 coisas que os pais unca devem dizer aos filhos

Neste livro, o autor Antonio Siqueira seleciona 50 frases que não devemos falar aos nossos filhos e apresenta uma explicação sobre o porquê de evitá-las e a melhor forma de substituí-las. 

As frases vão desde coisas simples e aparentemente sem efeito algum, como “você puxou seu avô” até frases mais intensas como “eu não aguento o seu jeito”.

O autor é um experiente psicólogo com foco em psicologia infantil que, ao longo de seus anos de atuação profissional, conseguiu reunir esse repertório de reflexões sobre o peso daquilo que dizemos às crianças e como elas afetam seu comportamento, o desenvolvimento intelectual e social e até suas posturas perante os amigos, pais, professores e parentes.

Criar um filho não é uma tarefa fácil, contudo, os adultos podem se policiar para evitar que mais dificuldades sejam lançadas nesta missão de criador.

Basta fazer a reflexão que o autor propõe, ou seja, analisar nossos discursos com os filhos e adotar cautela na escolha das palavras.

2) Como criar filhos financeiramente inteligentes – Eileen e Jon Gallo

como criar filhos financeiramente inteligentes

Vivemos um contexto bem desafiador em nosso país.

Desde 2013, o Brasil enfrenta resultados abaixo do esperado na economia e busca uma recuperação, e isso foi sentido na pele por muita gente em forma de desemprego, redução de receita familiar, queda no faturamento do negócio, etc.

E isso, claro, reflete na família.

Muitas famílias sofrem com a falta de uma educação financeira e passam por dificuldades que poderiam ser evitadas com um pouco de reflexão.

O que esse livro propõe é uma reflexão dos pais sobre os valores financeiros que eles praticam e transmitem aos filhos. 

O livro tem como objetivo transmitir ao leitor novos conceitos sobre a relação dinheiro e família, incentivando a construção de uma nova relação entre as finanças e a realidade familiar.  

A ideia é inserir dentro da educação que damos aos nossos filhos diariamente noções de relação com o dinheiro e formas de usar essa nova relação para preparar os pequenos para lidar com algo que ninguém escapa: a necessidade de ganhar, administrar e conviver com o dinheiro.

3) Quem ama, educa! – Içami Tiba

quem ama educa

Lançado em 2002, Quem Ama Educa está para a literatura nacional sobre educação dos filhos como Os Lusíadas está para a literatura portuguesa.

O livro é um clássico, um long seller, que se mantém entre os mais populares e vendidos do país no rol de livros sobre como educar os filhos. 

Na obra é discutido o protagonismo dos pais na educação das crianças.

Segundo o autor, a escola é local de obtenção de conhecimentos específicos, enquanto a família é o grande seio educacional das crianças, por isso, é fundamental que os pais sejam ativos e não vejam a educação dos filhos como algo que se aprende apenas na escola.

De acordo com Içami Tiba, é o carinho dado pelos pais, pessoas próximas e professores que abre os olhos das crianças para quem cuida delas, ampliando assim sua autoestima e confiança, que são fundamentais para sua formação. 

O livro marcou época por ser um dos primeiros a trazer em uma linguagem “comum” (ou seja, menos acadêmica) a importância dos pais na educação e a quebra do mito de que isso é tarefa única das instituições de ensino.

4) 101 ideias para curtir com seu filho – Paula Perim

101 ideias para curtir com o seu filho

Muitos pais, ao verem seus filhos crescidos, têm o sentimento de que o tempo passou rápido demais e que não foi possível aproveitar o crescimento das crianças como gostaria.

Neste livro, a autora Paula Perim propõe 101 formas de aproveitar o tempo dos filhos e se fazer mais presente durante o crescimento deles.

As atividades são voltadas para crianças menores de dez anos. 

Você já sabe, depois de crescidos, não há mais volta, portanto, o ideal é aproveitar cada fase e compreender como a interação pai/filho é importante e saudável para o desenvolvimento da criança. 

Ao ler, você vai sentir-se inspirado para interagir com o seu filho e, ao mesmo tempo, vai receber uma boa dose de nostalgia ao lembrar das atividades que você fazia quando era criança.

5) O cérebro da criança – Daniel J. Siegel e Tina Payne Bryson

o cérebro da criança

Um neuropsiquiatra (Daniel J. Siegel) e uma psicoterapeuta (Tina Payne Bryson) se reuniram para criar um livro intenso e apaixonante, que busca apresentar aos adultos alguns insights importantes sobre a mentalidade das crianças e a forma como elas se desenvolvem.

O foco é auxiliar no desenvolvimento da inteligência emocional e prepará-las para encarar nosso mundo enquanto elas passam por um incrível processo de transformação, que é o crescer.

guia bilíngue bannerPowered by Rock Convert

O livro possui uma linguagem simples (apesar do tema complexo), é repleto de ilustrações que auxiliam na compreensão dos temas e ainda reserva algumas boas estratégias para os pais aplicarem de forma positiva com os pequenos.

6) As cinco linguagens do amor – Gary Chapman

as cinco linguagems do amor

De acordo com o autor, existem cinco linguagens do amor:

  1. Palavras de afirmação
  2. Tempo de Qualidade
  3. Presentes
  4. Atos de serviço
  5. Toque físico

Cada uma dessas cinco “linguagens” são capazes de traduzir atitudes de amor e carinho com os demais, e cada pessoa “fala” uma delas melhor que a outra.

A obra tende a desmistificar que amor é tudo igual e que ele só pode ser demonstrado da mesma maneira. 

A obra é um convite para refletirmos sobre todas as formas de transmissão de amor, tanto para que possamos entender como captamos o amor vindo de outras pessoas, quanto para entender qual é a forma que nós damos e recebemos amor dos filhos. 

7) Crianças francesas não fazem manha – Pamela Druckerman

crianças francesas não fazem manha

Uma jornalista americana se casa e sai de mudança para Paris. Ao chegar na França, percebe uma imensa diferença comportamental entre as crianças dos Estados Unidos e as da França.

Dessa observação inicia-se uma jornada multicultural para identificar as diferenças na criação e na maternidade. 

Pamela Druckerman analisa que há, na França, um comportamento no qual as mães lidam com a maternidade de forma mais natural, com menos preocupação e as crianças não se tornam o centro de tudo, o que traz muitas diferenças para a estrutura familiar e, principalmente, para a saúde e bem-estar das mães.

Vale a pena a leitura para analisar como existem modelos diferentes de criação e como alguns de nossos comportamentos podem ser substituídos por outras atitudes vindas de outras culturas.

8) Crianças Dinamarquesas – Jessica Joelle Alexander

crianças dinamarquesas

Você sabia que a Dinamarca é um dos países mais felizes do mundo? A constatação foi feita pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OECD) e vale ressaltar que os dinamarqueses já ganharam esse título várias vezes!

A autora se propõe a entender essa receita de sucesso e inicia sua jornada de descoberta sobre a forma como os dinamarqueses atingem tal patamar de felicidade. 

Ela então descobre que o segredo para essa constante felicidade tem origem na forma como eles são criados pela família e educados durante a infância.

O livro funciona mais ou menos como o “Crianças francesas não fazem manha”, ou seja, um guia multicultural focado a apresentar aos pais das mais diferentes nacionalidades o que se pode aprender com a filosofia de criação da Dinamarca.

9) Já tentei de tudo – Isabelle Filliozat

já tentei de tudo

Que atire a primeira pedra quem é/foi pai ou mãe de uma criança entre 1 e 5 anos e que nunca disse essa frase.

A obra focada é focada nas crianças pequenas e é respaldada por pesquisas e estudos acadêmicos. Seu objetivo é criar uma espécie de manual para que os pais possam viver a primeira infância sem traumas – tanto para eles quanto para as crianças.

A maioria dos comportamentos impertinentes das crianças de 1 a 5 anos são, na verdade, frutos da nossa incapacidade de compreendê-los.

A leitura do livro propõe uma reflexão dos pais sobre as atitudes das crianças, e sobre seus próprios atos. 

Pense bem: se você diz que já tentou de tudo e não está obtendo sucesso, talvez seja hora de olhar para a situação de outra maneira, com outra perspectiva sobre o seu papel e as atitudes do seu filho.

É isso que o livro propõe e executa com sucesso, uma nova forma de pensar e viver a primeira infância e as atitudes comuns dessa fase.

10) O papai é pop – Marcos Piangers

o papai é pop

Marcos Pianger é comediante, colunista, cronista e pai. Em seu livro, ele reúne as melhores crônicas escritas por ele sobre a relação pais e filhos.

Ele se apresenta como um homem que quer ser o verdadeiro paizão, mas que durante essa missão vai descobrindo a forma de criar duas meninas, romper com bloqueios patriarcais e vencer dificuldades socioculturais.

A obra é um ode à paternidade de um jeito muito divertido e educativo, sendo capaz de colocar os leitores para refletir sem que seja necessário assumir um tom de ensinamento superior, ou seja, apenas um pai comum passando seus valores e aprendizados para outros pais comuns.

Vale ressaltar que já está disponível um segundo volume com mais histórias.

11) A mamãe é rock – Ana Cardoso

a mamãe é rock

Ana Cardoso é casada com Marcos Piangers e traz ao mundo a sua versão sobre os fatos. Em “A mamãe é rock”, a autora capta a essência da maternidade com a mesma sensibilidade e texto leve que marcam a versão dos pais.

Há bastante humor e realidade na obra, que é capaz de traduzir para as palavras alguns sentimentos maternos que parecem únicos e sem tradução. O livro é muito bom para desafiar alguns padrões e abordar o machismo na construção das relações familiares.

Vale a pena fazer a leitura das duas obras (dos pais e das mães) em casa e depois trocar os livros com o parceiro para receber novas ideias e analisar a perspectiva do gênero oposto sobre a mesma situação.

12) A vida com crianças – Lulli e Julia Milman

a vida com crianças

“Para ler nos momentos de sossego e consultar nas horas de aperto”.

É isso que o livro pretende ser aos pais, uma obra consultiva e de leitura tranquila, sendo recomendada tanto para a hora de relaxamento com leitura quando no momento em que é preciso buscar conhecimento para tomar a melhor atitude.

As autoras, mães e psicólogas, pegam os aspectos fundamentais das relações familiares e as colocam no centro de uma reflexão.

O resultado é um livro cheio de ensinamentos, reflexões, questionamentos e orientações sobre os principais assuntos que tangenciam a vida dos pais e dos filhos.

Simples, direto, acolhedor e objetivo nos ensinamentos. O livro pretende ser mais do que uma obra para os pais. Até mesmo avós, cuidadores e professores podem captar ótimos insights para a criação e melhoria do relacionamento com as crianças.

Ler para os filhos: uma forma de adquirir conhecimento

Livros sempre serão uma excelente forma de obtenção de conhecimentos. Mesmo com todo o potencial da internet para apresentar conteúdos, os livros continuam sendo os melhores parceiros de pais, cuidadores e professores que buscam otimizar as relação com as crianças, aprender com elas e transmitir conhecimentos da melhor maneira possível.

Por isso, sempre recomendamos aos pais que leiam livros sobre como educar os filhos.

Mesmo que você esteja cansado ou não tenha o hábito da leitura, é interessante reservar um momento para ler e aportar novos conhecimentos para sua vida, seja para criar os filhos ou para outros temas!

Gostou da nossa lista de melhores livros sobre como educar os filhos? Caso tenha alguma dúvida ou queira recomendar alguma leitura que o ajudou na educação do seu filho, fique à vontade para deixar nos comentários!

Quer receber mais conteúdos sobre educação de bebês e crianças?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.