Método de alimentação BLW para bebês

Método de alimentação BLW para bebês: tudo o que você precisa saber

Logo que o bebê é recém-nascido, a única opção de alimentação é o leite – seja o materno ou a fórmula. 

Aos poucos, no entanto, os papais começam a ficar ansiosos para introduzir outros tipos de alimentos – e os bebês, ao vê-los se alimentando, começam a querer provar novos sabores.

Sempre com orientação profissional, a introdução alimentar pode começar por volta dos seis meses. 

A tradicional papinha é uma das opções preferidas dos pequenos. A vantagem é que esse tipo de alimento é fácil de preparar – ou de adquirir em supermercados – e também é fácil de servir ao filhote. 

Novos estudos, porém, estão surgindo, com intenção de estimular o bebê a se alimentar sozinho. 

Claro que ninguém espera que ele cozinhe a própria comida, mas a criança, mesmo aos seis meses, já consegue fazer pequenas movimentações e segurar os alimentos sozinha, levando-os à boca. 

Chamamos essa prática de método de alimentação BLW. 

Quer saber o que é? Então, continue lendo!

O que é o Método de Alimentação BLW?

Conhecido em inglês como Baby Led Weaning, o método BLW, em português, significa desmame guiado pelo bebê. Apesar do nome aparentemente complicado, o método é bem simples. 

Em vez de usar um garfo ou uma colher para levar a comida até a boca do bebê, a ideia é deixar que o pequeno faça esse caminho sozinho, com as próprias mãos. Embora ele vá fazer os movimentos sozinho, deve ser monitorado o tempo todo. 

A comida (somente alimentos sólidos) deve ser entregue ao bebê em pedaços grandes para que a criança possa segurá-los e levá-los até a boca sozinha. A criança fará os movimentos sozinha, mas deve ser monitorada o tempo todo. 

Embora possa parecer quase um detalhe, essa prática é muito importante para desenvolver, na criança o hábito de comer sem que outra pessoa lhe sirva com uma colher na boca. Comendo com as mãos, os alimentos podem ser melhor explorados.

Por que adotar o Método de Alimentação BLW?

O ideal é que o método seja introduzido quando os pais também estiverem fazendo as refeições. Assim, as crianças já serão incluídas nessa rotina, e podem se acostumar com esse momento de alimentação coletivo. 

Converse com o bebê, deixe que ele faça parte desse momento, mesmo que ainda não compreenda exatamente o que está acontecendo.

Se o pequeno ainda estiver sendo amamentado, os períodos de refeição podem ser intercalados com as horas da mamada. Assim, o bebê terá uma alimentação completa, com nutrientes da comida e do leite materno. 

Os principais benefícios são para o desenvolvimento do bebê. O método BLW estimula a autonomia porque a criança se torna protagonista do ato de se alimentar. 

Quando recebe a papinha com o ‘guia’ da mãe ou do pai, ele é um coadjuvante nesse processo. 

Essa prática também evita que o bebê coma mais do que precisa. Quando se sentir satisfeito, o bebê pode demonstrar isso, parando de comer – a mesma coisa que já faz quando sente que não precisa mais de leite. 

Uma vez que o bebê pega a comida com as mãos, o movimento psicomotor também é estimulado. 

Do ponto de vista pediátrico e odontopediátrico, a mastigação do alimento também é um fator que contribui para o fortalecimento e desenvolvimento dos músculos faciais. 

Todo mundo sai ganhando

O método traz, principalmente, benefícios para o bebê, mas a família também sai ganhando. Ao preparar alimentos saudáveis para fazer a introdução alimentar da criança, os pais e irmãos também acabam comendo de maneira saudável. 

Não esqueça, também, que as crianças aprendem por imitação: se virem você se alimentando mal, a tendência é que sigam esse hábito no futuro.

Além disso, o método BLW amplia a experiência alimentar, ajudando no desenvolvimento do paladar. Na papinha, como os ingredientes estão misturados, a percepção de sabor não é tão acentuada.

Como iniciar o BLW na alimentação infantil?

O ideal é que o bebê apresente os chamados sinais de prontidão. Esses sinais são indicadores de desenvolvimento e demonstram que o bebê está pronto para o consumo de alimentos sólidos. 

O bebê precisa ter pelo menos seis meses e já conseguir sentar sozinho. Essa parte é muito importante: a criança não pode ainda estar “mole”, precisa ter controle do tronco para conseguir deglutir os alimentos com segurança. 

O ideal é que o pequeno esteja no seu colo ou em uma cadeira de alimentação. Escolha uma cadeira feita com material fácil de limpar. Participe da refeição – coma ao mesmo tempo que o bebê. Lembre-se: a criança não pode ser deixada sem supervisão nem por um segundo sequer, ok?

Mesmo que o bebê demonstre dificuldades, deixe que ele pegue o alimento sozinho e leve até a boca. Se você ajudá-lo, toda a essência do método BLW se perde. 

Não deixe de priorizar a amamentação

No primeiro ano de vida, o leite materno é o principal alimento do bebê. Se você tentar alimentá-lo com comidas sólidas sem que ele já tenha mamado, o pequeno provavelmente não vai colaborar com você. 

guia bilíngue bannerPowered by Rock Convert

E, caso ele queira mamar depois de ter comido, permita que o faça. Esse método é uma introdução alimentar. Consulte um pediatra, odontopediatra ou nutricionista para ajudar nesse processo. 

Aplicativos como o BLW Brasil App e o Mundo BLW, disponíveis na Apple Store e no Google Play, trazem boas dicas. 

Há também especialistas que oferecem cursos para ajudar os papais e as mamães. Ah, a Sociedade Brasileira de Pediatria também lançou um guia completo sobre o assunto. 

17 alimentos mais indicados para a alimentação BLW

Os alimentos devem estar cortados em formatos que permitam que a criança consiga segurá-los. Não podem ser muito pequenos nem muito grandes a ponto de serem muito difíceis de mastigar. 

A comida também precisa estar macia. A criança precisa conseguir amassar o alimento com a gengiva – lembre-se que os pequenos ainda não têm todos os dentes. 

Dica: Para garantir que a comida está no ponto certo, coloque-o no céu da sua boca e veja se você consegue amassá-lo com a língua. Se você conseguir, o bebê também vai ser capaz.

Dê preferência para alimentos saudáveis, como frutas e legumes. Para o caso de carnes, os pedaços precisam ser pequenos – o bebê não vai mastigá-los, e sim, chupá-los.

Confira uma lista com 17 alimentos possíveis de introduzir na alimentação BLW:

  • Abóbora
  • Abobrinha
  • Banana
  • Batata
  • Beterraba
  • Brócolis
  • Carne (em pedaços pequenos, para chupar)
  • Cenoura
  • Chuchu
  • Couve-flor
  • Frango (em pedaços pequenos, para chupar)
  • Kiwi
  • Maçã
  • Manga
  • Pêra
  • Pêssego
  • Quiabo

4 alimentos a serem evitados na alimentação BLW

Evite alimentos em formato arredondado e cortados em pedaços pequenos. Para manusear esse tipo de comida, os bebês precisam fazer um movimento de ‘pinça’, com os dedos indicador e polegar. 

Essa habilidade só surge mais tarde! Além disso, os bebês podem se engasgar. Alimentos pequenos são mais difíceis de mastigar. 

Portanto, evite esses quatro alimentos listados abaixo: 

  • Amendoim
  • Ovo de Codorna
  • Pipoca
  • Uva

4 desafios e complicações possíveis da alimentação BLW

1) Risco de engasgo

Mesmo com todos os cuidados, o bebê pode se engasgar (sabia que isso pode acontecer até com alimentos líquidos, como leite e papinha?) 

Então, esteja preparado. Aprenda a fazer a manobra de Heimlich para ajudar o bebê caso isso ocorra. Esse vídeo abaixo ensina a fazer isso. 

2) Acompanhamento médico

Não defina a forma de alimentação da criança por conta própria. Consulte um pediatra, um odontopediatra ou um nutricionista pediátrico sobre o assunto. 

A curva de crescimento, que mostra se o bebê está crescendo de maneira adequada, é muito importante nessa faixa etária. 

E, caso o bebê não se adapte ao método BLW – não coma ou não aceite os alimentos -, os pais podem retomar a alimentação com papinha. 

3) Alimentação alinhada com a família

Não adianta querer que a criança coma frutas e legumes se os pais nunca consomem. As crianças se espelham nos pais e imitam o comportamento. 

Portanto, se, para os adultos da casa, uma alimentação saudável é algo complicado, é provável que o bebê não se engaje no método BLW. 

4) Paciência

Pais que ficam pouco tempo em casa ou que têm uma rotina mais corrida podem não conseguir respeitar o tempo do bebê.

Lembre-se que a criança nem sempre quer fazer o que queremos que ela faça na hora que queremos. 

Ela pode jogar a comida no chão, cuspir a comida ou não conseguir segurar o alimento.

Portanto, certifique-se de que você tem tempo para acompanhar esse processo, sem perder a paciência com o pequeno, que está aprendendo. 

Não force a criança a comer, nem tente enganá-la com distrações. 

Método de alimentação BLW: uma bela forma de desenvolver e estreitar laços com os bebês

Como tudo na vida das crianças, a introdução alimentar é uma etapa que requer paciência. Para esse processo de aprendizagem, é preciso que os mestres – no caso, aqui, os papais e as mamães – tenham muito amor e cuidado. 

Tenha calma com a criança – alimente-a de forma lenta e paciente, sem forçá-la ou distraí-la com barulhos e brincadeiras. 

Se o bebê recusar os alimentos, tente combiná-los de formas diferentes, ou troque os formatos e texturas. Converse, participe daquela refeição com ela, e inclua-a no momento reservado à alimentação.

E, para os papais modernos, não deixe de filmar e fotografar. As crianças crescem rápido e, em um piscar de olhos, vão estar querendo almoçar sozinhas, enquanto assistem à televisão. Aproveite esses momentos únicos com o seu bebê. 

Quer receber mais conteúdos sobre educação de bebês e crianças?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.